História 7º ano

domingo, março 11, 2007

AS CATACUMBAS NA ROMA ANTIGA

A palavra “catacumba” é de origem grega e significa “cavidade, um vale aberto”. Catacumba era o topónimo de uma localidade da Via Appia, onde havia cavas para extrair blocos de tufo. Foi perto desse local que se escavaram as “Catacumbas de São Sebastião”. Só no século IX é que o termo se generalizou com a designação de “cemitério subterrâneo”.
As catacumbas são, assim, antigos cemitérios subterrâneos. Era aí que os cristãos, sobretudo os de Roma, enterravam os seus mortos, a partir do século II, até à primeira metade do século V. Situavam-se ao longo das extensas estradas consulares, nas imediações da cidade. Eram formadas por labirínticas galerias subterrâneas que podiam atingir vários quilómetros. Nas paredes de tufo eram escavadas, por operários especializados, os fossários, filas de nichos rectangulares, denominados lóculos que tanto podiam conter um só cadáver como dois ou três. (imagem um) Os cadáveres eram envolvidos num lençol, colocados no lóculo e este era fechado com uma placa de mármore ou, mais regularmente, com telhas fixadas com argamassa. Sobre a placa era escrito o nome do defunto, com um símbolo cristão ou uma frase em que se desejava paz no céu. Também era frequente a colocação de lamparinas ou vasos com perfumes junto ao lóculos.
Os lóculos não eram a única forma de sepultura. Havia também:
- O arcossólio, que era uma sepultura familiar típica dos séculos III e IV. Consistia num nicho grande com um arco sobrestante e a placa de mármore era colocada horizontalmente. Podia ser decorado com afrescos que reproduziam cenas bíblicas: baptismo, eucaristia e ressurreição.
- O sarcófago, que era um caixão de pedra ou de mármore, com esculturas em relevo ou inscrições.
- O cubículo, que era uma sala pequena com capacidade para vários lóculos. Eram mausoléus familiares.
- A cripta, que era uma sala maior. Muitas criptas deram origem, no tempo do papa São Dâmaso, a igrejas subterrâneas de pequenas dimensões, (imagem dois – Cripta de Santa Cecília - nas catacumbas de São Calixto) decoradas com pinturas, mosaicos e outras decorações. (Imagem três – o Bom Pastor)
Primitivamente apenas com a função de local de deposição do corpo do defunto, passaram a ser o lugar onde os cristãos se reuniam para celebrar os rituais fúnebres, assim como para comemorarem o aniversário do passamento dos seus entes queridos e dos mártires da Igreja cristã. A ideia de que as catacumbas seriam local de esconderijo, durante as perseguições, não é actualmente aceite, vendo-se tal como lenda ou pura ficção cinematográfica. Poderiam ter sido apenas um refúgio momentâneo para a celebração da eucaristia, mas nunca refúgio permanente.
Após o período de perseguição aos cristãos, sobretudo no pontificado de São Dâmaso (366-384), as catacumbas tornaram-se santuários de veneração dos mártires e a elas acorriam cristãos de todo o império romano, em peregrinação. (imagem quatro – Cripta do Papa, nas catacumbas de São Calixto)
Embora existissem em Roma cemitérios a céu aberto, os cristãos, naquela época, preferiam as catacumbas, por várias razões:
- A recusa da cremação dos corpos.
- A resolução do problema de espaço, pois como os cristãos não reutilizavam os sepulcros, em pouco tempo os cemitérios a céu aberto deixariam de ter espaço.
- O sentido de comunidade que, entre os cristãos, os levava a querer estar próximos do defunto.
- A localização das catacumbas, que possibilitava a prática do culto religioso.

Ao redor de Roma há mais de sessenta catacumbas. No entanto, as mais importantes são cinco:
- Catacumbas de Santa Inês, na via Nomentana.
- Catacumbas de Priscila, na via Salária.
- Catacumbas de Domitila, na via delle Sette Chiese.
- Catacumbas de São Sebastião, na Via Appia Antica (Imagem cinco).
- Catacumbas de São Calisto, na Via Appia Antica.

Depois de leres as informações contidas no texto, escreve uma noção de fossário.

Menciona o que eram os lóculos.

Que outras formas de sepultura havia, para além dos lóculos?